Prado e Vialle lideram o pódio no MXGP de Limburg, na Bélgica

Escrito em 22/10/2020
Cesar Araujo

LOMMEL (Bélgica) 21 de outubro de 2020 - A 14ª rodada do Campeonato Mundial de Motocross FIM viu Jorge Prado e Tom Vialle, da Red Bull KTM Factory Racing, varrerem o pódio na MXGP de Limburg, com a dupla conquistando um resultado de 2-1 em MXGP e MX2 para confirmar seu lugar no topo da caixa em Lommel, Bélgica.

As corridas de hoje foram enfrentadas com todos os elementos, incluindo chuva, sol e vento, que criaram condições ainda mais desafiadoras, enquanto os pilotos MXGP e MX2 lutavam pelas primeiras posições na areia profunda de Lommel.




Jorge Prado fez sua aparição de oito pódios durante a MXGP de Limburg hoje depois de algumas batalhas acirradas em ambas as corridas, onde terminou em segundo e primeiro lugar para garantir seu primeiro GP da geral em Lommel, na categoria rainha.

Depois de sair da pista e levar algum tempo para voltar à corrida na segunda corrida, Tim Gajser, do Team HRC, teve que se contentar com o terceiro lugar na segunda bateria, após uma vitória na corrida de abertura, que lhe deu o segundo lugar geral hoje, como o esloveno continuou a mostrar uma forma impressionante na areia.

Já Antonio Cairoli, da Red Bull KTM Factory Racing, voltou ao pódio, já que Mantova, como um quinto e um segundo nas corridas, foi o suficiente para colocá-lo no terceiro degrau do pódio, uma melhoria em relação à rodada anterior aqui na Bélgica .

Na primeira corrida, foi Prado quem conquistou o Fox Holeshot, liderando Gajser, Romain Febvre da Monster Energy Kawasaki Racing Team, seguido por Jeremy Seewer da Monster Energy Yamaha Factory Racing e Brian Bogers da Marchetti Racing Team KTM, que continuam seu forma impressionante, depois de definir a volta mais rápida nos treinos cronometrados.

Prado continuou a liderar Gajser e Febvre, com o francês tentando se aproximar da dupla da frente. Gajser então cometeu um erro e teve a sorte de mantê-lo sobre duas rodas, embora no processo tenha perdido o segundo lugar para Febvre.

Febvre, então, melhorou sua volta mais rápida da corrida, ao chegar a 1.980 segundos a Prado e continuou a trabalhar na lacuna ao se aproximar do líder.

O piloto da casa, Jeremy Van Horebeek da Honda SR Motoblouz, caiu depois de sair do sexto lugar e conseguiu voltar a agrupar-se em 16º, mas acabou por regressar a casa na 11ª posição.

Febvre então perdeu em segundo para Gajser na volta cinco, enquanto Seewer continuava a se defender de Bogers. O suíço conseguiu libertar-se do piloto da Marchetti KTM e ainda tinha Febvre na mira de terminar nos três primeiros.

Prado liderou então com 3,399, embora na volta seguinte a diferença tenha caído para 2,028 e ele já estivesse na roda traseira do espanhol. Enquanto isso, Bogers perdeu em quinto para Cairoli.

E a algumas voltas do fim, Gajser afastou-se de Prado e abriu uma vantagem de 2,129 segundos. Ao mesmo tempo, Seewer pegou as costas de Febvre, mas não foi capaz de encontrar uma maneira de passar e no final teve que se contentar com o quarto lugar.

A uma volta do final, a diferença era de apenas 1,376 entre os pilotos de fábrica da Honda e da KTM, embora no final tenha sido Gajser quem conquistou a vitória na corrida de abertura, enquanto Prado cruzou a meta em segundo e Febvre em terceiro.

Na segunda corrida, Prado teve outra largada rápida, atrás dele estavam Cairoli, Gajser e Seewer. E Gajser não perdeu tempo para subir para o segundo lugar e depois para a liderança na volta 5. Cairoli também estava procurando fazer o mesmo, enquanto pressionava para contornar seu companheiro de equipe.

Seewer cometeu um erro e caiu para sexto na corrida, com Febvre a tentar contornar Bogers para o P4.

Gajser não liderou por muito tempo, pois na volta seguinte, o piloto da Equipe HRC se viu fora da pista e demorou um pouco para voltar a andar. O esloveno voltou à corrida em 7º.

Prado foi o novo líder da corrida, ao liderar o 9 vezes campeão mundial, Cairoli, por 1.065 segundos com 11 minutos no relógio. Os dois lutaram juntos até ao final da corrida, com Cairoli a passar por breves instantes para a liderança, embora o espanhol tenha sido capaz de responder rapidamente em cada ocasião.

Febvre então começou a se aproximar do par e, enquanto tentava se aproximar, cometeu um pequeno erro e caiu. Enquanto isso, Gajser caiu na 6ª posição e se aproximou de Seewer, que cometeu um pequeno erro que permitiu ao líder do campeonato ficar entre os 5 primeiros.

No final, Prado foi o vencedor, com Cairoli em segundo e Gajser em terceiro.

Gajser agora lidera o campeonato com 55 pontos, conforme avançamos para a 15ª rodada do Campeonato Mundial de Motocross da FIM neste fim de semana, para a corrida final aqui em Lommel.



Jorge Prado: “Na primeira corrida fiz uma largada muito boa, mas depois que o Tim passou, tentei segui-lo, mas ele estava muito rápido. Quase caí e não pude fazer mais nada. Na segunda corrida, mais uma vez, fiz uma boa partida e estava a sentir-me muito bem com a moto, por isso fui em frente. Tive uma bela batalha com Tony, ele me passou e eu o devolvi, então me entreguei. Até os caras atrás de mim foram um pouco mais rápidos do que eu, mas consegui manter a posição e consegui a vitória geral. Estou muito feliz, agora é hora de me recuperar e estar pronto para a próxima corrida


Tim Gajser: “Estou muito feliz, o ritmo e a pilotagem eram muito bons na primeira corrida e também na segunda corrida, até que cometi esse erro. Eu nem bati, acabei de sair da pista, fiquei preso com a bicicleta e demorei 20 segundos para tirar a bicicleta daquela situação. Precisei de uma volta para me recuperar, me reagrupar e recuperar a velocidade. Consegui passar os caras na minha frente e terminar em terceiro. Estou realmente ansioso para a próxima corrida, é estranho dizer, mas estou realmente gostando de andar na areia novamente

Antonio Cairoli: “Estou feliz com o dia de hoje. Na semana passada eu não estava cavalgando; todo mundo sabe que sou capaz de andar na areia direito, até hoje não foi o meu melhor passeio na areia, mas de qualquer forma estava bem. Gostei muito de hoje, especialmente da segunda corrida, embora tenha cometido um pequeno erro no início e estivesse fora da pista. No final fui puxando forte e persegui o Jorge e assim que passei por ele lutei porque tive que limpar minhas lentes com a mão e atrás de mim estava o Febvre que estava empurrando muito então eu tive que estar super focado. O Jorge estava a rodar muito bem e mereceu a vitória na geral. Estou ansioso pelo próximo GP, fizemos algumas mudanças na moto e acho que podemos melhorar ainda mais com algumas outras mudanças e tentar chegar ao primeiro degrau do pódio


MXGP - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Tim Gajser (SLO, Honda), 35:51.802;
2. Jorge Prado (ESP, KTM), +0:09.460;
3. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:19.277;
4. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:25.844;
5. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:39.570;
6. Calvin Vlaanderen (NED, Yamaha), +0:46.241;
7. Brian Bogers (NED, KTM), +0:58.549;
8. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +1:02.925;
9. Jordi Tixier (FRA, KTM), +1:09.942;
10. Brent Van doninck (BEL, Husqvarna), +1:21.751.

MXGP - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Jorge Prado (ESP, KTM), 35:54.221;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:01.349;
3. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:07.509;
4. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:19.506;
5. Brian Bogers (NED, KTM), +0:21.288;
6. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +0:32.046;
7. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:42.261;
8. Jeremy Van Horebeek (BEL, Honda), +0:45.771;
9. Calvin Vlaanderen (NED, Yamaha), +0:51.185;
10. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +1:02.918

MXGP - GP Top 10 Classification: 
1. Jorge Prado (ESP, KTM), 47 points;
2. Tim Gajser (SLO, HON), 45 p.;
3. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 38 p.;
4. Romain Febvre (FRA, KAW), 38 p.;
5. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 32 p.;
6. Brian Bogers (NED, KTM), 30 p.;
7. Calvin Vlaanderen (NED, YAM), 27 p.;
8. Clement Desalle (BEL, KAW), 24 p.;
9. Jeremy Van Horebeek (BEL, HON), 23 p.;
10. Jordi Tixier (FRA, KTM), 22 p.

MXGP - World Championship Top 10 Classification: 
1. Tim Gajser (SLO, HON), 533 points;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 478 p.;
3. Jorge Prado (ESP, KTM), 476 p.;
4. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 461 p.;
5. Romain Febvre (FRA, KAW), 421 p.;
6. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 375 p.;
7. Gautier Paulin (FRA, YAM), 369 p.;
8. Clement Desalle (BEL, KAW), 336 p.;
9. Jeremy Van Horebeek (BEL, HON), 271 p.;
10. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 263 p.

MXGP - Manufacturers Classification: 
1. KTM, 624 points;
2. Honda, 570 p.;
3. Yamaha, 527 p.;
4. Kawasaki, 490 p.;
5. GASGAS, 417 p.;
​6. Husqvarna, 324 p.




Na categoria MX2, Tom Vialle, da Red Bull KTM Factory Racing, conquistou sua segunda vitória geral consecutiva aqui em Lommel, com uma segunda vitória e uma corrida, enquanto ampliava sua liderança no campeonato para confortáveis ​​61 pontos sobre seu rival mais próximo, Jago Geerts da Monster Energy Yamaha Factory Racing.

Enquanto isso, Maxime Renaux, da Yamaha SM Action MC Migliori J1 Racing, ainda ocupa o terceiro lugar da classificação com 438 pontos, com Jed Beaton da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing a apenas nove pontos atrás, em quarto lugar.

Foi um grande dia para a equipa da Monster Energy Yamaha Factory Racing MX2, que conquistou mais um pódio duplo, com Ben Watson a ocupar o segundo degrau na caixa, depois de algumas corridas impressionantes que o viram lutar da ordem para as primeiras posições de pontuação, como ele terminou as corridas 3-2.

Em terceiro ficou o seu companheiro de equipa e piloto de GP em casa, Geerts, que teve uma mistura de um dia, depois de algumas grandes quedas que tornaram as coisas muito mais difíceis para o piloto de fábrica da Yamaha, que continuou a perseguir uma vitória geral em casa.

Na corrida de abertura, o Fox Holeshot foi para Michael Sandner da Diga Procross GasGas Factory Juniors. O piloto da GasGas liderou Geerts, Thomas Kjer Olsen da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing, embora Roan Van de Moosdijk da F&H Kawasaki Racing não tenha perdido tempo para escorregar para o terceiro lugar após algumas curvas.

O segundo piloto de fábrica da Husqvarna, Jed Beaton, teve um início difícil para a corrida, já que se recuperou e seguiu bastante atrás no resto do pelotão. Embora ele tenha conseguido abaixar a cabeça e lutar até o décimo lugar, foi onde ele terminou.

Seu companheiro de equipe, Olsen, também caiu nas primeiras voltas e ficou fora dos 20 primeiros.

Geerts então estabeleceu sua melhor volta da corrida, estendendo sua vantagem sobre Vialle para 1.679 segundos e a diferença entre os dois permaneceu pequena por algum tempo. Os candidatos ao campeonato foram seguidos de perto por van de Moosdijk, que pressionou para ficar com eles e até mesmo ganhar terreno para ir atrás da vitória. E quando ele se aproximou, um problema com a bicicleta o forçou a sair da corrida de abertura.

Geerts saiu da liderança, pois sofreu uma queda incómoda, o que permitiu a Vialle liderar a corrida. Entretanto, Watson lutou para recuperar a ordem, depois de uma má largada, e acabou com Ruben Fernandez da SDM Corse Yamaha pelo quarto lugar. Depois de várias tentativas, o britânico conseguiu fazer um passe stick, mas ainda tinha uma lacuna para ir atrás de Rubini. Enquanto isso, Vialle liderava por 12,121 segundos.

Watson começou a tirar muito tempo de Stephen Rubini da Honda Racing Assomotor, que estava tendo um grande piloto no 3º lugar.

A diferença entre o segundo e o primeiro começou a cair drasticamente, à medida que Geerts estava perdendo muito tempo com Vialle a cada volta, até chegar à roda traseira. Os dois então tiveram alguns breves momentos de corrida lado a lado, embora com três voltas para o final, o # 193 foi finalmente capaz de reivindicar de volta o P1.

Watson também ultrapassou Rubini para o 3º lugar, com o piloto da Honda sofrendo mais pressão e perdendo mais duas vagas para Fernandez e Isak Gifting do Diga Procross GasGas Factory Juniors.

No final, foi Geerts quem conquistou a vitória, com Vialle em segundo e Watson em terceiro.

Na segunda corrida, foi Geerts quem conseguiu o Fox Holeshot enquanto liderava Van de Moosdijk, Gifting e Vialle. Embora Van de Moosdijk não quisesse ficar parado, rapidamente passou para a liderança, enquanto Vialle ultrapassou Gifting para o terceiro lugar na primeira volta.

Geerts teve então de trabalhar muito durante oito voltas para contornar Van de Moosdijk, enquanto o piloto da Kawasaki lutou bem. Mas quando Geerts entrou na P1, ele teve uma grande queda e ficou preso embaixo da moto por alguns momentos, o que lhe custou um tempo valioso, já que ele só conseguiu se reagrupar em 7º.

Watson então subiu novamente e acabou pegando nas costas de Maxime Renaux da Yamaha SM Action MC Migliori J1 Racing e na volta 11 foi capaz de ultrapassar o francês para terceiro, já que Gifting também perdeu algumas posições após escorregar -acima.

Foram então 3.483 segundos separando Watson do segundo lugar, já que ele só tinha 4 voltas para se aproximar de Van de Moosdijk para mais alguns pontos. Duas voltas depois, o britânico estava por trás do holandês e, a uma única volta do fim, conseguiu passar para o segundo lugar após um esforço incrível.

Embora tenha sido Vialle quem venceu a corrida, ele cruzou a linha de chegada em primeiro, com Watson em segundo e Van de Moosdijk em terceiro. Geerts não conseguiu obter mais posições e terminou a corrida em 7º, o que custou caro para a sua perseguição ao campeonato.



Tom Vialle: “Estou muito feliz com o resultado de hoje. Na primeira corrida cometi um erro e o Jago foi muito rápido. Na segunda corrida fiz uma boa largada e eu e o Jago empurramos um pouco para fora, como se o Roan conseguisse entrar e eu fosse terceiro. Depois disso o Jago errou e eu aproveitei, consegui seguir em frente e fazer o meu próprio ritmo para vencer. Estou muito feliz com essa vitória e por estar aqui novamente ”.


Ben Watson: “Estou muito feliz, estar novamente no pódio é uma sensação muito boa. Não tive uma largada tão boa, então tive que forçar muito, mas estou muito feliz porque consegui ultrapassar vários pilotos. Na segunda corrida quase bati nas ondas e perdi o ritmo e depois tive que lutar com o Roan. Ainda não chegamos ao fim porque ainda temos quatro corridas pela frente e muita coisa acontece, e quero aproveitar estes momentos

ago Geerts: “Estou bem, mas hoje foi um dia estranho. Eu tenho sentimentos mistos. Na primeira corrida senti-me muito bem e feliz com a corrida. Na segunda corrida estava a seguir o Roan e logo depois de o ultrapassar tive uma queda muito forte e ainda não sei o que aconteceu e fiquei preso debaixo da moto e com certeza não consegui alcançar o que esperava ”.


MX2 - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Jago Geerts (BEL, Yamaha), 36:00.760;
2. Tom Vialle (FRA, KTM), +0:10.862;
3. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:38.277;
4. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +0:53.408;
5. Isak Gifting (SWE, GASGAS), +0:57.521;
6. Stephen Rubini (FRA, Honda), +1:12.422;
7. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +1:20.130;
8. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +1:25.846;
9. Alvin Östlund (SWE, Honda), +1:26.910;
10. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +1:29.485.

MX2 - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 35:54.380;
2. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:02.989;
3. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:09.294;
4. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +0:18.439;
5. Isak Gifting (SWE, GASGAS), +0:26.482;
6. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:28.036;
7. Jago Geerts (BEL, Yamaha), +0:29.245;
8. Bas Vaessen (NED, KTM), +0:37.444;
9. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +0:43.762;
10. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:47.060

MX2 - GP Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 47 points;
2. Ben Watson (GBR, YAM), 42 p.;
3. Jago Geerts (BEL, YAM), 39 p.;
4. Isak Gifting (SWE, GAS), 32 p.;
5. Maxime Renaux (FRA, YAM), 31 p.;
6. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 30 p.;
7. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 29 p.;
8. Stephen Rubini (FRA, HON), 24 p.;
9. Jed Beaton (AUS, HUS), 22 p.;
10. Alvin Östlund (SWE, HON), 22 p.

MX2 - World Championship Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 616 points;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 555 p.;
3. Maxime Renaux (FRA, YAM), 438 p.;
4. Jed Beaton (AUS, HUS), 429 p.;
5. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 410 p.;
6. Ben Watson (GBR, YAM), 397 p.;
7. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 377 p.;
8. Conrad Mewse (GBR, KTM), 287 p.;
9. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 279 p.;
10. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 234 p.

MX2 - Manufacturers Classification: 
1. Yamaha, 632 points;
2. KTM, 632 p.;
3. Husqvarna, 500 p.;
4. Kawasaki, 459 p.;
5. Honda, 319 p.;
​6. GASGAS, 231 p.