Herlings e Renaux sobem ao degrau mais alto do pódio no MXGP da Itália

Escrito em 07/09/2020
Cesar Araujo

FAENZA (Itália) 6 de setembro de 2020 - Com a corrida concluída, também concluiu a sexta rodada do Campeonato Mundial de Motocross FIM. O MXGP da Itália foi o primeiro de três eventos ocorridos no circuito de Monte Coralli em Faenza que viu Jeffrey Herlings, da Red Bull KTM Factory Racing, conquistar sua 90ª vitória no Grande Prêmio em MXGP, enquanto Maxime Renaux da Yamaha SM Action MC Migliori - J1 Racing levou uma primeira vitória geral da carreira no MX2.




A corrida MXGP de abertura viu Ivo Monticelli colocar sua máquina Standing Construct GasGas Factory na frente enquanto liderava Jorge Prado da Red Bull KTM Factory Racing, Jeffrey Herlings da Red Bull KTM Factory Racing e Clement Desalle da Monster Energy Kawasaki MXGP Team.

Embora Monticelli tenha cometido um erro na primeira volta, isso permitiu a Prado assumir a liderança, com Herlings logo atrás dele. Nesse ponto Desalle estava em terceiro lugar, embora estivesse sob pressão de Antonio Cairoli da Red Bull KTM Factory Racing.

Não demorou muito para que Jeremy Seewer da equipe Monster Energy Yamaha Factory MXGP se incorporasse na mistura, já que começou a aplicar pressão em Cairoli no início da corrida.

Na segunda volta foi um KTM 1-2-3, com Prado liderando Herlings e Cairoli. Entretanto, mais abaixo no field, Gautier Paulin da Monster Energy Yamaha Factory MXGP passou para 5º enquanto empurrava Desalle para uma posição inferior e procurava avançar para o seu companheiro de equipa.

Desalle então perdeu uma posição para Tim Gajser da equipe HRC e estava sendo atacado pelo # 259 de Glenn Coldenhoff da equipe Standing Construct GasGas MXGP. Os dois pilotos tiveram um momento próximo ao entrar no pitlane, embora Desalle tenha conseguido manter sua posição.

Na volta 8, Herlings estava começando a fechar no # 61 do Prado, com 2,7 segundos separando os dois. Cairoli ainda estava lá em 3º, tentando afastar Seewer e Paulin. Durante a mesma volta, Mitch Evans da equipe HRC perdeu em 8º para Romain Febvre da Monster Energy Kawasaki MXGP Team, que estava subindo no campo.

Algumas voltas depois, Gajser caiu da 6ª posição, enquanto a batalha na frente esquentava! Nesse ponto, prever um vencedor era difícil, pois Prado, Herlings, Cairoli e Seewer estavam todos agrupados e empurrando com força.

Depois de tomar seu tempo, Herlings finalmente assumiu a liderança na volta 13, enquanto Prado estava sendo atacado por Cairoli e Seewer também. Quando Cairoli se aproximou do jovem espanhol para tentar um passe, ele foi pego, permitindo que Seewer passasse para o terceiro lugar.

A duas voltas do fim e a diferença entre os três primeiros era de apenas 1,7 segundos, embora no final tenha sido Herlings quem venceu a corrida, seguido por Seewer e Cairoli, com Prado a cair em 4º depois de cometer um erro na última volta.

Na segunda corrida de MXGP, foi Prado quem conquistou o segundo FOX Holeshot do dia e mais uma vez liderando o resto do pelotão. Atrás dele estavam Herlings, Cairoli e Seewer, embora o # 222 tenha cometido um erro e perdido cerca de 5/6 posições na volta inicial.

Enquanto Prado liderava a corrida, Paulin que estava fazendo uma ótima corrida em 4º foi atacado pelo atual campeão mundial, Gajser, com Cairoli também se intensificando e se envolvendo na ação.

Enquanto as duas Yamahas de fábrica, Seewer e Paulin, estavam em primeiro lugar no top 5, o mesmo não se podia dizer do seu companheiro de equipa Arnaud Tonus, que caiu fora da corrida.

Enquanto Gajser e Cairoli continuavam a empurrar Paulin, o francês agarrou-se na perna que o fez voar para os banners publicitários e sair de um forte 4º lugar. Entretanto, na frente, apenas 2 segundos separaram os três primeiros pilotos, com Seewer a estabelecer a sua volta mais rápida da corrida, mostrando claramente as suas intenções para o resto da corrida.

Após o drama da primeira corrida, que viu Jeremy Van Horebeek da Honda SR Motoblouz perder a largada devido ao que parecia ser um problema com a moto, ele corria em 11º na segunda corrida de MXGP. Ele terminou em 12º no final.

Enquanto a batalha pela liderança continuava, houve uma boa luta descendo pelo 4º lugar, com Cairoli sendo perseguido por Gajser. Também não demorou muito para Febvre entrar em ação, pois finalmente passou por Gajser e voltou sua atenção para Cairoli.

A volta 10 e Prado continuou a liderar Herlings e Seewer, embora seja quando você pode ver Herlings acelerando enquanto lutava pela vitória. Embora com Herlings focado em Prado, isso permitiu que Seewer ficasse na cola dele, com a bala perdendo um pouco de tempo naquela volta.

A volta 13 e Herlings foi o novo líder da corrida depois de finalmente encontrar uma maneira de passar pelo nº 61 de Prado. Seewer não podia permitir que Herlings fugisse e foi capaz de passar para o segundo lugar e continuar sua perseguição ao número 84.

Nas últimas 3 voltas da corrida, meros 1,1 segundos separaram Herlings e Seewer, com a Yamaha de fábrica usando toda a sua energia para tentar ultrapassar Herlings, embora no final ele não tenha sido capaz de fazê-lo, pois Herlings fez 1-1 vencendo o MXGP da Itália.

Em segundo lugar no pódio ficou Seewer após um resultado de 2-2, com Cairoli preenchendo o terceiro degrau do pódio com um 3-3 consistente nas corridas.

Jeffrey Herlings continua liderando o campeonato com 60 pontos sobre Antonio Cairoli, com Tim Gajser em terceiro com 196 pontos.



Jeffrey Herlings: “Na primeira corrida quase consegui o holeshot, apenas fui um pouco longe, mas [Jorge] Prado foi muito bom no início e o poleiro doeu, por isso foi difícil ultrapassá-lo porque ele estava nas melhores linhas. Eu senti que poderia ir mais rápido, mas não conseguia realmente passar. Nas duas corridas, quando pude sentir que ele estava cansado, foi nesse ponto que tentei ultrapassá-lo em ambas as corridas e abrir um pequeno espaço entre mim e Jeremy. Na segunda corrida eu o ultrapassei, o resto do pelotão como Jeremy foi muito rápido, então eu tive que correr até a linha de chegada. A velocidade dos dez primeiros é incrivelmente rápida, todos estão tão próximos uns dos outros, me senti bem o dia todo, tive duas boas largadas e duas vitórias, então foi um bom dia no final ... As largadas são fundamentais e vou continuar trabalhando neles ”.


Jeremy Seewer: “Na primeira corrida eu atrapalhei a minha largada sozinho porque fui um pouco cedo demais, estava em torno do 10º lugar. Eu me senti muito bem e felizmente pude me recuperar disso e alcançar o grupo da frente e terminar em segundo atrás de Jeffrey. Eu me senti bem, usei um pouco de energia enquanto empurrava toda a corrida e não tive tempo para descansar porque tive que ultrapassar os pilotos durante a corrida, então fiquei feliz por fazer uma boa largada na segunda vez, sendo quarto e passado direto Tony [Cairoli] e correu toda a corrida atrás de Jeffrey, mas como ele mencionou, é muito difícil de passar, então não consegui encontrar uma vaga, ele não cometeu nenhum erro e eu só tive que ir para o segundo. Estou super feliz com meu desempenho, minha moto estava ótima. Para mim, mentalmente, não é o momento mais fácil, mas estou feliz por ser o segundo ”.


Antonio Cairoli: “O dia começou mal esta manhã com o tempo de treino, não me senti nada bem com o meu joelho… Na primeira corrida, a minha partida não foi tão má, mas [Ivo] Monticelli foi mesmo largo na curva e nós quase tocamos juntos, então tive que frear e saí em torno da 8ª colocação. Tentei reagrupar com o Jorge [Prado] e o Jeffrey [Herlings]. O ritmo estava rápido, mas consegui chegar mais perto, então tentei dar uma boa volta, mas Jeremy [Seewer] estava muito rápido nas duas corridas e me ultrapassou. Na segunda corrida tive uma boa partida e estava a rodar em quarto lugar na primeira volta, embora tenha cometido um erro, por isso tentei voltar a agrupar-me e por segurança. Encontrei um bom ritmo e tentei atacar nas últimas voltas, mas novamente estava com pouco tempo. Mas estou feliz porque esta pista é dura e não é uma das minhas favoritas e com mais duas corridas aqui espero poder melhorar.


MXGP - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 35:19.086;
2. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:04.449;
3. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:05.809;
4. Jorge Prado (ESP, KTM), +0:18.901;
5. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +0:20.460;
6. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:27.508;
7. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:29.307;
8. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:34.581;
9. Mitchell Evans (AUS, Honda), +0:39.860;
10. Arminas Jasikonis (LTU, Husqvarna), +0:40.323.

MXGP - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 35:18.731;
2. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:01.973;
3. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:07.461;
4. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:09.053;
5. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:09.691;
6. Jorge Prado (ESP, KTM), +0:23.291;
7. Mitchell Evans (AUS, Honda), +0:45.795;
8. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:48.674;
9. Arminas Jasikonis (LTU, Husqvarna), +0:51.293;
10. Alessandro Lupino (ITA, Yamaha), +0:56.253.

MXGP - GP Top 10 Classification: 
1. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 50 points;
2. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 44 p.;
3. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 40 p.;
4. Romain Febvre (FRA, KAW), 33 p.;
5. Jorge Prado (ESP, KTM), 33 p.;
6. Tim Gajser (SLO, HON), 29 p.;
7. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 27 p.;
8. Mitchell Evans (AUS, HON), 26 p.;
9. Gautier Paulin (FRA, YAM), 26 p.;
10. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 23 p.

MXGP - World Championship Top 10 Classification: 
1. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 263 points;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 203 p.;
3. Tim Gajser (SLO, HON), 196 p.;
4. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 186 p.;
5. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 178 p.;
6. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 173 p.;
7. Gautier Paulin (FRA, YAM), 155 p.;
8. Jorge Prado (ESP, KTM), 153 p.;
9. Clement Desalle (BEL, KAW), 146 p.;
10. Romain Febvre (FRA, KAW), 137 p.

MXGP - Manufacturers Classification: 
1. KTM, 270 points;
2. Honda, 231 p.;
3. Yamaha, 217 p.;
4. Kawasaki, 202 p.;
5. Husqvarna, 189 p.;
6. GASGAS, 187 p.




Na corrida de abertura do MX2, Tom Vialle colocou sua máquina Red Bull KTM Factory Racing na frente ao reivindicar seu 7º FOX Holeshot da temporada. O piloto da Monster Energy Yamaha Factory Jago Geerts, Maxime Renaux da Yamaha SM Action M.C Migliori - J1 Racing e Mathys Boisrame da F&H Kawasaki Racing estavam logo atrás do líder.

A boa largada foi também a Hitachi KTM impulsionada pelo piloto de Milwaukee Conrad Mewse que ficou em 5º, à frente de Jan Pancar da KTM RACESTORE MX2 e do piloto local Morgan Lesiardo de Steelsdrjack.

Mais abaixo no campo, o italiano Mattia Guadagnini da Husqvarna Junior Racing Maddii fez uma ultrapassagem sobre o piloto da Monster Energy Yamaha Factory Ben Watson, enquanto os dois lutavam fora dos 20 primeiros.

Vialle continuou a liderar com Geerts, Renaux e Boisrame logo atrás dele. Depois veio Mewse que se esforçou para se manter com os pilotos à frente, seguido por Pancar, Lesiardo e Richard Sikyna da JD GUNNEX KTM Racing Team que estava a rodar forte em 8º.

Enquanto Mewse tentava fazer uma jogada em Boisrame na volta 7, Vialle estabeleceu a volta mais rápida da corrida, estendendo sua liderança para 4.780 segundos sobre Geerts.

Stephen Rubini, da Honda Racing Assomotor, também estava tendo uma grande batalha com Lesiardo, com os dois ficando próximos um do outro ao passarem pelo pitlane. Mas no final foi Rubini quem saiu por cima, subindo para o 7º lugar.

Enquanto isso, Vialle lavava a frente, perdendo a liderança, entregando Geerts P1. O piloto da KTM caiu para terceiro com Renaux a conseguir ultrapassá-lo e a seguir Boisrame.

À medida que a corrida progredia, Geerts voava pelo circuito de Monte Coralli ao verificar volta após volta e liderar Renaux por 11,6 segundos. Parecia que Vialle também estava ansioso para voltar quando começou a aplicar pressão no # 172 de Boisrame. Os dois tiveram uma queda perto do pit-lane, o que também permitiu a Mewse tirar vantagem e se aproximar.

A 2 voltas do fim, a batalha pelo 3º lugar estava esquentando entre Boisrame, Vialle e Mewse. Embora no final a ordem permaneceu a mesma de Geerts para a vitória da primeira corrida, com Renaux em segundo e Boisrame em terceiro.

A segunda corrida de MX2 viu Jago Geerts adicionar outro FOX Holeshot ao seu nome, embora um pequeno erro tenha permitido Renaux e Vialle passarem enquanto o piloto Yamaha SM Action M.C Migliori - J1 Racing liderava na primeira volta.

Thomas Kjer Olsen, da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing, também começou bem a corrida e rodou em 6º, atrás de Roan Van de Moosdijk da F&H Kawasaki Racing. Não demorou muito para que o segundo piloto da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing, Jed Beaton, alcançasse aqueles caras com ele, subindo para 6º depois de passar seu companheiro de equipe na volta 3.

Na 7ª volta, Renaux continua a ser o cara a bater, com Geerts a atropelar Vialle ao tentar passar para o segundo lugar. Boisrame ainda está em 4º com o seu companheiro de equipa uma posição mais atrás.

À medida que a corrida avançava, a diferença entre Vialle e Renaux diminuiu com o líder tendo que se defender de um Vialle que carregava forte enquanto tentava contornar os marcadores.

A 5 minutos e mais 2 voltas do fim, Vialle e Geerts continuaram a perseguir Renaux, com o francês a fazer um excelente trabalho ao manter a calma e não deixar que a pressão o afectasse muito.

Enquanto Geerts recuava lentamente, Vialle não o fez e foi forçando os limites para passar para a vitória e a 3 voltas do fim faltavam apenas 1,6 segundos entre a primeira e a segunda. O piloto da Red Bull KTM Factory continuou a esforçar-se até ao fim, embora não tenha sido suficiente, pois Renaux conquistou a primeira vitória da carreira na MX2.

Foi um dia perfeito para Maxime Renaux, que também subiu ao pódio, com Geerts a terminar em segundo e Vialle em terceiro.

Tom Vialle ainda lidera o campeonato com uma pequena margem, ou seja, 3 pontos, enquanto Jago Geerts continua em segundo e Maxime Renaux em terceiro.



Maxime Renaux: “Foi incrível, um dos melhores dias da minha vida com certeza. Tive uma boa largada na segunda corrida e depois consegui liderar toda a corrida. Foi muito difícil, está quente aqui, então fisicamente foi muito difícil, mas consegui fazer e estou muito feliz com isso e vamos continuar com esse ritmo ”.


Jago Geerts: “Foi um bom dia hoje, na primeira corrida que ganhei, por isso fiquei muito contente com isso e a minha pilotagem foi boa. Na segunda corrida consegui o holeshot, mas na primeira curva cometi um pequeno erro e fui para a segunda e depois para a terceira. Depois disso, eu rodei um bom ritmo e estava tentando fazer alguns passes, mas foi muito difícil, então acabei de levar para casa o terceiro lugar e estou feliz com o segundo no geral. Estou ansioso para as próximas duas corridas aqui ”.


Tom Vialle: “No início da corrida [2] não estava muito bem e Maxime [Renaux] abriu um pequeno espaço, mas consegui encontrar o meu ritmo e apanhá-lo e sim nas últimas três voltas tentei empurrar para o passe, mas Maxime não cometeu nenhum erro e estava muito bem, então agora eu terminei em terceiro na geral, então não é tão ruim ”.


MX2 - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Jago Geerts (BEL, Yamaha), 36:03.347;
2. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +0:07.292;
3. Mathys Boisrame (FRA, Kawasaki), +0:09.304;
4. Tom Vialle (FRA, KTM), +0:09.701;
5. Conrad Mewse (GBR, KTM), +0:10.221;
6. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:25.871;
7. Stephen Rubini (FRA, Honda), +0:27.334;
8. Jan Pancar (SLO, KTM), +0:28.862;
9. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:35.243;
10. Morgan Lesiardo (ITA, KTM), +0:52.644.

MX2 - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), 35:45.835;
2. Tom Vialle (FRA, KTM), +0:03.359;
3. Jago Geerts (BEL, Yamaha), +0:08.329;
4. Mathys Boisrame (FRA, Kawasaki), +0:27.441;
5. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:28.610;
6. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:29.501;
7. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:30.451;
8. Mattia Guadagnini (ITA, Husqvarna), +0:32.842;
9. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:35.621;
10. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +0:57.942.

MX2 - GP Top 10 Classification:
 
1. Maxime Renaux (FRA, YAM), 47 points;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 45 p.;
3. Tom Vialle (FRA, KTM), 40 p.;
4. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 38 p.;
5. Jed Beaton (AUS, HUS), 30 p.;
6. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 26 p.;
7. Stephen Rubini (FRA, HON), 24 p.;
8. Jan Pancar (SLO, KTM), 22 p.;
9. Conrad Mewse (GBR, KTM), 20 p.;
10. Mattia Guadagnini (ITA, HUS), 19 p.

MX2 - World Championship Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 257 points;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 254 p.;
3. Maxime Renaux (FRA, YAM), 196 p.;
4. Jed Beaton (AUS, HUS), 178 p.;
5. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 169 p.;
6. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 166 p.;
7. Ben Watson (GBR, YAM), 139 p.;
8. Conrad Mewse (GBR, KTM), 115 p.;
9. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 115 p.;
10. Mikkel Haarup (DEN, KAW), 105 p.

​MX2 - Manufacturers Classification: 
1. Yamaha, 280 points;
2. KTM, 260 p.;
3. Kawasaki, 225 p.;
4. Husqvarna, 191 p.;
5. Honda, 125 p.;
​6. GASGAS, 81 p.