Gajser e Geerts de volta ao topo no MXGP da Europa!

Escrito em 05/10/2020
Cesar Araujo


O MXGP da Europa concluiu a 11ª rodada do Campeonato Mundial de Motocross da FIM, e com ela a segunda das três partidas triplas da Itália nesta temporada.

Ao longo dos últimos 10 dias, as três rodadas aqui em Mantova, mostraram algumas corridas intensas e muito emocionantes, que viram três pilotos diferentes subirem ao degrau mais alto do pódio na MXGP.

Desta vez, durante o MXGP da Europa, Tim Gajser do Team HRC fez seu tão esperado retorno ao degrau mais alto do pódio, ao conquistar a vitória geral no MXGP pela primeira vez nesta temporada. Enquanto isso, na MX2, Jago Geerts, da Monster Energy Yamaha Factory Racing, também voltou ao topo, já que uma segunda vitória e uma corrida foram suficientes para colocá-lo em primeiro lugar no pódio. Esta foi a sua quarta vitória geral da temporada.



Quando o gate caiu para a primeira corrida MXGP do dia, foi Jorge Prado, da Red Bull KTM Factory Racing, que liderou o caminho, com Tim Gajser da equipe HRC, Romain Febvre da Monster Energy Kawasaki Racing Team e Dylan Walsh da JM Honda Racing o seguiram. a primeira curva.

Houve drama na primeira volta quando Prado e Febvre caíram, o que permitiu a Walsh passar para o primeiro lugar e liderar no MXGP. Gajser ficou em segundo com seu companheiro de equipe Mitch Evans e Antonio Cairoli, da Red Bull KTM Factory Racing, logo atrás dele.

Walsh então liderou o pelotão para a segunda volta da corrida, enquanto Gajser procurava um jeito de ultrapassar, com Evans, Prado, Cairoli e Jeremy Seewer da Monster Energy Yamaha Factory Racing ali também.

Desejoso de se recuperar, Febvre contornou seu companheiro de equipe, Clement Desalle, para o 7º lugar na corrida, enquanto as coisas esquentavam na frente enquanto Walsh tentava manter Gajser longe. Nesse ponto, Gajser parecia impaciente enquanto empurrava para passar Walsh, com Walsh bloqueando-o e os dois batendo nas barras.

Prado atropelou Evans, com o espanhol a encontrar uma lacuna para ultrapassar o piloto Honda para o terceiro lugar. E então, depois de várias tentativas, Gajser foi finalmente capaz de contornar Walsh e se tornar o novo líder da corrida.

A batalha entre os 10 primeiros foi louca, com muita ação e muitas mudanças de posições. Walsh caiu para 9º com uma volta, quando Gautier Paulin da Monster Energy Yamaha Factory Racing ultrapassou Brian Bogers da Marchetti Racing Team KTM para passar para 10º.

Gajser então estendeu sua liderança para 3.041 segundos, quando Seewer empurrou para passar Evans, embora precisasse se manter protegido, já que Febvre, Glenn Coldenhoff do Standing Construct GasGas MXGP e Cairoli também estavam se aproximando.

Febvre então caiu em 5º, com Evans se afastando de Prado, enquanto Seewer foi ultrapassado por Coldenhoff e Cairoli, caindo para 6º na corrida. Evans então foi pressionado por Cairoli, já que Prado também foi pressionado por Coldenhoff pelo segundo lugar na corrida. O holandês conseguiu ultrapassar o espanhol eventualmente, a 2 voltas do fim.

No final foi Gajser quem venceu a corrida de abertura, com Coldenhoff em 2º e Prado em 3º.

Na corrida dois, Prado teve outra boa largada, mas desta vez foi a FOX Holeshot, com Gajser e Cairoli lá no top 3. Embora Gajser não tenha perdido tempo, ele rapidamente passou para a liderança na volta inicial.

Prado então caiu do P2, saindo bem fora dos 20 primeiros, o que sem dúvida foi uma corrida muito difícil.

Enquanto Gajser reduzia sua diferença para 3.268 segundos, um pequeno erro o fez lavar a frente de seu Honda de fábrica. Cairoli então herdou o P1, com Gajser sendo capaz de voltar logo atrás dele, à frente de Febvre e Seewer. Cairoli liderou a corrida com 2,186 segundos, enquanto Seewer tentava lutar para chegar ao top 3.

Com 12 minutos e 2 voltas no relógio, Gajser conseguiu ultrapassar Cairoli nas costas de Cairoli, que reduziu a diferença. E apesar de pegar o # 222 e mantê-lo lá dentro de um segundo ou mais, Gajser ainda lutava para encontrar uma maneira de passar pelo italiano.

Mais adiante, Prado subia em 18º e só conquistaria mais uma posição antes da bandeira quadriculada.

A algumas voltas do fim, Seewer continuou a perseguir Febvre, com o suíço a encontrar o caminho na última volta.

Apesar de ter ficado nas costas do líder da corrida, Gajser ficou sem tempo quando Cairoli conquistou a vitória da corrida, com Gajser tendo que se contentar com o 2º e Seewer 3º.

Em termos de pódio, Tim Gajser conquistou sua primeira vitória geral da temporada, enquanto Cairoli ocupou o 2º lugar e Coldenhoff fazendo outra aparição no pódio para terminar em 3º.



Tim Gajser: “É uma sensação incrível, ganhei muitas corridas este ano, mas não consegui vencer uma geral até hoje, então estou super feliz. Na primeira corrida tive um pouco de bomba de braço, mas depois me senti bem; na segunda corrida fiz uma largada muito boa e consegui passar o [Jorge] Prado imediatamente na primeira ou segunda volta e saí da frente. Quando eu estava liderando, cometi um pequeno erro e caí, Tony me passou e depois de termos uma batalha muito boa pela vitória, ambos estávamos dando duro, mas no final terminei em segundo e primeiro no geral, então estou feliz sobre isso. Estou realmente ansioso para ir para a Espanha porque é uma pista de notícias e um novo evento, então estou muito animado com isso.


Antonio Cairoli: “Claro que estou feliz por ganhar, mas não me senti muito bem durante todo o fim de semana, meu joelho ainda está me dando muitos problemas. Na sexta-feira tive que ir ao hospital ver um médico que tirou um pouco de fluido e injetou um pouco de graxa dentro. De qualquer forma, terei que fazer mais um mês de corridas e tentar segurar muito e ver se consigo dar o máximo até o fim que é o nosso objetivo. Estou contente com o geral, na primeira corrida a largada foi boa e depois andei com cuidado porque fizemos algumas mudanças na moto e não consegui sentir o freio; Terminei em quinto, tudo bem, mas claro que não é isso que queremos para o campeonato também porque o Tim [Gajser] estava na frente. Na segunda corrida tivemos algumas alterações e sentimo-nos melhor com a moto. No geral, estou feliz com este segundo lugar. Dei tudo, mas é claro que queremos ganhar, então esse é o nosso objetivo para a próxima corrida, vamos para a Espanha que é uma pista completamente nova e um novo local


Glenn Coldenhoff: “O pódio é sempre bom. Na primeira corrida tive uma largada muito boa e ultimamente estou trabalhando nisso, mas depois não sei o que estava fazendo porque passei do segundo lugar para o nono e claro que não foi muito bom. Dei muito empenho e terminei em segundo muito perto da vitória. A segunda corrida não foi muito boa para mim porque acho que gastei muita energia na primeira corrida, então tenho que trabalhar na segunda porque não estou muito feliz com isso. Como eu disse estar aqui de novo eu acho que é bom, estando no pódio sinto que ainda preciso ansiar pela vitória e espero fazer isso um dia neste ano


MXGP - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Tim Gajser (SLO, Honda), 34:17.344;
2. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:01.263;
3. Jorge Prado (ESP, KTM), +0:04.925;
4. Mitchell Evans (AUS, Honda), +0:08.675;
5. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:09.994;
6. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:11.544;
7. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +0:19.247;
8. Ivo Monticelli (ITA, GASGAS), +0:20.654;
9. Brian Bogers (NED, KTM), +0:21.495;
10. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:21.844.

 

MXGP - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 34:09.190;
2. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:02.652;
3. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:06.339;
4. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:08.174;
5. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:20.703;
6. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +0:26.332;
7. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +0:30.752;
8. Mitchell Evans (AUS, Honda), +0:33.840;
9. Calvin Vlaanderen (NED, Yamaha), +0:35.952;
10. Brian Bogers (NED, KTM), +0:37.138.

MXGP - GP Top 10 Classification: 
1. Tim Gajser (SLO, HON), 47 points;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 41 p.;
3. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 38 p.;
4. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 35 p.;
5. Mitchell Evans (AUS, HON), 31 p.;
6. Romain Febvre (FRA, KAW), 29 p.;
7. Gautier Paulin (FRA, YAM), 28 p.;
8. Clement Desalle (BEL, KAW), 24 p.;
9. Jorge Prado (ESP, KTM), 24 p.;
10. Brian Bogers (NED, KTM), 23 p.

MXGP - World Championship Top 10 Classification: 
1. Tim Gajser (SLO, HON), 399 points;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 388 p.;
3. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 369 p.;
4. Jorge Prado (ESP, KTM), 341 p.;
5. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 341 p.;
6. Romain Febvre (FRA, KAW), 304 p.;
7. Gautier Paulin (FRA, YAM), 285 p.;
8. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 263 p.;
9. Clement Desalle (BEL, KAW), 262 p.;
10. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 248 p.

 

MXGP - Manufacturers Classification: 
1. KTM, 489 points;
2. Honda, 436 p.;
3. Yamaha, 418 p.;
4. Kawasaki, 373 p.;
5. GASGAS, 355 p.;
6. Husqvarna, 277 p.;

 




A primeira corrida de MX2 do dia viu Tom Vialle da Red Bull KTM Factory Racing pegar o FOX Holeshot e liderar o caminho à frente de Jago Geerts, da Monster Energy Yamaha Factory Racing, de Michael Sandner da DIGA Procross GasGas Factory Juniors e da Yamaha SM Action MC Migliori J1 Racing Maxime Renaux.

Enquanto isso, Alvin Ostlund, da Honda Racing Assomotor, não teve o melhor início da corrida, pois caiu na primeira curva. Roan Van de Moosdijk, da F&H Kawasaki Racing, também teve problemas na largada e caiu em 17º nas primeiras voltas. Apesar de trabalhar o seu caminho de volta, Van de Moosdijk não terminou a corrida.

Geerts e Renaux pegaram nas costas de Sandner, enquanto a dupla empurrava para ultrapassar o piloto da GasGas. Renaux então empurrou um pouco demais e caiu.

Bem no início da corrida, Vialle já tinha uma diferença decente de 6.004 segundos para Sandner e Geerts, embora não tenha demorado muito para Geerts encontrar seu caminho para o segundo lugar e visar a vitória. Sandner então caiu outra posição, com a Hitachi KTM abastecida pelo piloto de Milwaukee Conrad Mewse o agarrou nas costas e o ultrapassou para 3º.

Após a queda anterior, Renaux ficou em último lugar, o que tornou a primeira corrida do dia muito difícil. Enquanto isso, mais adiante, Jed Beaton e Thomas Kjer Olsen, da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing, subiram em 4º e 6º, ficando mais perto dos 3 primeiros.

Vialle então se concentrou em sua própria corrida, estendendo sua liderança para 8.586 segundos. Geerts continuava em 2º lugar, com Mewse 3º, Beaton 4º e Isak Gifting da DIGA Procross GasGas Factory Juniors, que fazia uma grande corrida dentro do top 5.

Olsen então foi atrás de Gifting, que ele ultrapassou não muito tempo depois, enquanto o segundo piloto da Monster Energy Yamaha Factory Racing, Ben Watson, também alcançou a dupla enquanto ele lutava por posições mais altas.

Mewse fez uma corrida fantástica em 3º, mantendo-se com Geerts ao longo da corrida. E à medida que a corrida avançava, Vialle cometeu um erro que reduziu a liderança para apenas 2 segundos com 9 minutos e 2 voltas para o final da corrida.

Olsen então alcançou o 4º lugar de seu companheiro de equipe, enquanto Geerts continuava a perseguir Vialle para a vitória. Nas próximas voltas da corrida, Geerts trabalhou duro para passar Vialle, embora não tenha conseguido se manter firme, o que deu a Vialle a primeira vitória do dia. Geerts ocupou o 2º lugar enquanto Mewse cruzou a linha logo atrás em 3º lugar.

Na segunda corrida da MX2, Watson foi o piloto a cronometrar a largada perfeitamente e chegar à primeira curva na liderança, conquistando o segundo FOX Holeshot do dia. Van de Moosdijk, Vialle e Geerts também estavam lá.

Vialle então deslizou para a 2ª posição quando foi atrás de Watson, que ele não foi capaz de ultrapassar muito depois. Geerts também foi atrás de seu companheiro de equipe, que ele pegou e passou também.

Mais abaixo no campo, Mewse estava atacando Beaton pelo 6º lugar, já que os dois estavam próximos. Apesar de estar de volta ao topo do campo, Geerts estava se aproximando de Vialle, embora um pequeno erro do piloto da Yamaha tenha dado ao líder do campeonato um pouco de espaço para respirar.

Bas Vaessen, da Hitachi KTM abastecido por Milwaukee, foi forçado a deixar a corrida enquanto empurrava sua moto de volta para o pitlane.

Geerts então pegou Vialle mais uma vez, que foi capaz de responder rapidamente e definir a volta mais rápida da corrida no momento. O intervalo era de 1,278 segundos. Mas Geerts então se esforçou para ser o mais rápido e ultrapassou Vialle na volta 9.

Enquanto Geerts ia na frente, Olsen encontrou uma maneira de passar por Van de Moosdijk, o que também o colocou no pódio na época. Ele então foi atrás de Watson, que estava mais à frente em 3º, mas acabou ficando sem tempo.

E apesar do esforço na última volta, Vialle não conseguiu levar a melhor sobre Geerts, já que o piloto de fábrica da Yamaha venceu na corrida 2. Vialle cruzou a meta em 2º, com Watson em 3º.

Uma segunda vitória e uma corrida foram suficientes para colocar Jago Geerts de volta ao topo do pódio, enquanto Vialle teve que se contentar com P2 e Olsen fazendo outra aparição no pódio para terminar em terceiro.



Jago Geerts: “Foi um dia muito bom para mim porque as últimas corridas não foram tão boas, porque cometi muitos erros. Estou feliz por vencer hoje e estar de volta ao pódio. Tive dois bons começos. Na primeira corrida, passei muito tempo atrás de alguns dos outros pilotos no início e cheguei um pouco atrasado em Vialle, por isso terminei em segundo. E então, na segunda corrida, fiquei muito feliz com o resultado

Lutei um pouco com a afinação da moto nas últimas corridas e depois mudamos algumas coisas e funcionou muito bem já na segunda corrida de quarta-feira, mas depois tive uma pequena queda e hoje tudo deu certo e foi muito bom ”, acrescentou.


Tom Vialle: “Na verdade, foi um dia muito bom. Comecei a manhã a sentir-me bem com a moto e a primeira corrida foi boa. Fiz uma boa largada e depois de duas ou três voltas já tinha uma grande lacuna, mas depois cometi dois erros nas ondas e perdi muito tempo e Jago [Geerts] conseguiu me pegar. Mas fui forte durante toda a corrida e me senti bem, então consegui vencer. Eu estava realmente feliz. Na segunda, fiz uma boa largada e fiquei em segundo. Passei Ben Watson bem rápido, Jago estava atrás de mim e depois de algumas voltas ele me ultrapassou. Nas últimas três voltas tentei realmente forçar, e estava muito perto de Jago na última volta antes das ondas, mas sim no geral, estou muito feliz por terminar em segundo hoje. Não perdi nenhum ponto, então foi um dia muito bom


Thomas Kjer Olsen: “Sim, talvez eu esperasse um pouco mais, mas fiquei muito feliz com o meu desempenho hoje. Eu realmente dei tudo de mim, mas estive um pouco desorientado desde a manhã. É assim que às vezes e alguns dias você se sente muito bem e outros dias você está um pouco fora e eu me senti um pouco fora hoje, não facilitei para mim novamente com as largadas, mas se eu quiser correr com esses caras que eu preciso lá em cima, então estou super feliz com o resultado, digamos. Nas três rodadas aqui ganhei alguns pontos positivos e acho que voltei para a 5ª colocação no campeonato, o que é bom


MX2 - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 34:19.566;
2. Jago Geerts (BEL, Yamaha), +0:01.423;
3. Conrad Mewse (GBR, KTM), +0:04.773;
4. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:16.055;
5. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:28.127;
6. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:30.314;
7. Isak Gifting (SWE, GASGAS), +0:47.738;
8. Alberto Forato (ITA, Husqvarna), +0:49.364;
9. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +1:01.210; 1
0. Bas Vaessen (NED, KTM), +1:07.256.

MX2 - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Jago Geerts (BEL, Yamaha), 34:04.896;
2. Tom Vialle (FRA, KTM), +0:00.982;
3. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:17.392;
4. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:19.448;
5. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:23.091;
6. Conrad Mewse (GBR, KTM), +0:38.099;
7. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:48.261;
8. Kevin Horgmo (NOR, KTM), +0:52.212;
9. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +1:01.791;
10. Alberto Forato (ITA, Husqvarna), +1:05.437.

MX2 - GP Top 10 Classification: 
1. Jago Geerts (BEL, YAM), 47 points;
2. Tom Vialle (FRA, KTM), 47 p.;
3. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 36 p.;
4. Ben Watson (GBR, YAM), 35 p.;
5. Conrad Mewse (GBR, KTM), 35 p.;
6. Jed Beaton (AUS, HUS), 32 p.;
7. Alberto Forato (ITA, HUS), 24 p.;
8. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 22 p.;
9. Kevin Horgmo (NOR, KTM), 20 p.;
10. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 19 p.

MX2 - World Championship Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 478 points;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 432 p.;
3. Jed Beaton (AUS, HUS), 348 p.;
4. Maxime Renaux (FRA, YAM), 341 p.;
5. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 311 p.;
6. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 293 p.;
7. Ben Watson (GBR, YAM), 287 p.;
8. Conrad Mewse (GBR, KTM), 252 p.;
9. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 234 p.;
10. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 208 p.

MX2 - Manufacturers Classification: 
1. Yamaha, 494 points;
2. KTM, 494 p.;
3. Husqvarna, 401 p.;
4. Kawasaki, 375 p.;
5. Honda, 245 p.;
6. GASGAS, 148 p.;

Cr´´ditos:MXGP