Prado e Vialle, os heróis em Arroyomolinos enquanto vencem o MXGP da Espanha

Escrito em 12/10/2020
Cesar Araujo


O retorno do Grande Prêmio da Espanha foi marcado de maneira épica, como herói da casa, Jorge Prado, da Red Bull KTM Factory Racing, conquistou a importante vitória geral pela primeira vez em Espanha, ao comemorar duas vitórias em casa!

Enquanto isso, na MX2, o piloto da Red Bull KTM Factory Racing Tom Vialle teve seu próprio sucesso no circuito hard-pack, enquanto subia ao degrau mais alto do pódio, com dois resultados sólidos nas corridas.

Hoje foi a primeira vez que os pilotos de MXGP e MX2 tiveram a chance de testar o circuito de hard-pack aqui em Arroyomolinos, que se adaptou bem e criou algumas corridas emocionantes.



Jorge Prado começou a corrida MXGP de abertura com um FOX Holeshot, liderando Romain Febvre da Monster Energy Kawasaki Racing Team, Mitch Evans da equipe HRC. Dylan Walsh, da JM Honda Racing, e Gautier Paulin, da Monster Energy Yamaha Factory Racing, também fizeram uma boa largada ao rodarem em quarto e quinto lugar na volta inicial.

Tim Gajser da Team HRC abriu caminho para os quatro primeiros, enquanto seu companheiro de equipe ultrapassou Febvre para o segundo lugar. Jeremy Seewer, da Monster Energy Yamaha Factory Racing, não teve a melhor partida para a corrida e caiu em 9º após as primeiras voltas.

Febvre acabou por ultrapassar Evans para o segundo lugar, com Gajser a conseguir contornar também o seu companheiro de equipa, antes do australiano cair fora da corrida, lesionando-se no pulso esquerdo.

Prado então continuou a liderar com 2.361 segundos sobre Clement Desalle de Febvre, Gajser e Monster Energy Kawasaki Racing Team, enquanto mais abaixo na ordem, Walsh caiu mais algumas posições e caiu em 11º.

Glenn Coldenhoff, da Standing Construct GasGas Factory Racing Team, estava fazendo uma boa corrida em 6º ao aplicar pressão em Paulin. Esta batalha durou algumas voltas antes de Coldenhoff forçar a passagem pelo piloto da Factory Yamaha. Enquanto isso, Antonio Cairoli e Seewer, da Red Bull KTM Factory Racing, também estiveram lá em 7º e 8º lutando por conta própria.

Algumas voltas depois, Cairoli cometeu um pequeno erro que permitiu a Seewer aproximar-se, embora, à medida que o suíço tentava passar, um pequeno erro se transformou numa grande queda. Ele foi capaz de voltar rapidamente em 10º, atrás de Jeremy Van Horebeek da Honda SR Motoblouz.

Walsh então saiu da corrida com o que parecia ser uma corrente quebrada, enquanto Coldenhoff procurava outra posição, ao subir na roda traseira de Desalle.

Depois de liderar todas as voltas da corrida, Jorge Prado conquistou a vitória da primeira corrida, com Febvre terminando em segundo e Gajser em terceiro.

Na segunda corrida, Prado repetiu seu sucesso na primeira corrida, ao pegar outro FOX Holeshot e liderar o caminho com Seewer e Febvre logo atrás dele. Gajser, no entanto, foi capaz de subir rapidamente para o segundo lugar na primeira volta ao começar a lutar pela vitória.

Walsh teve outra boa largada entre os 10 primeiros, mas sofreu uma grande queda que o tirou da segunda corrida também, o que significou que o piloto da JM Honda Racing não marcou pontos desta vez.

Coldenhoff então começou a empurrar Seewer para o quarto lugar, embora Seewer fosse capaz de responder marcando sua volta mais rápida da corrida na quarta volta. Na volta 5, os 10 primeiros incluíam Prado, Gajser, Febvre, Seewer, Coldenhoff, Cairoli, Desalle, Brian Bogers da Marchetti Racing Team KTM, Van Horebeek e Henry Jacobi da Yamaha SM Action MC Migliori J1 Racing.

Prado então continuou a colocar volta após volta enquanto liderava por pouco mais de 5 segundos, enquanto Gajser parecia ter se conformado com P2 na corrida, enquanto a batalha esquentava entre Coldenhoff e Seewer. O piloto de fábrica da GasGas acabou por terminar em 4º ao piloto suíço na 13ª volta.

Nas voltas que se seguiram não houve mudanças de posição e, no final, Jorge Prado foi tirar o primeiro 1-1 da história, para terminar o dia da melhor forma, já que conquistou a geral em casa. Gajser cruzou a linha em 2º, enquanto Febvre terminou em 3º.

O pódio parecia exatamente o mesmo da segunda corrida, com Prado conquistando sua segunda vitória em GPs da temporada, enquanto Gajser alcançou seu 8º pódio, com Febvre alcançando seu terceiro pódio do ano.

Da forma como está, Tim Gajser vai agora para a Bélgica com uma vantagem de 24 pontos sobre Antonio Cairoli, enquanto Jeremy Seewer está a mais 21 pontos.



Jorge Prado: É um sonho para todos nós, espanhóis. Vencer na Espanha ou no seu país é sempre muito especial. É uma pena não termos espectadores, mas mesmo assim ganhar em casa é incrível. Depois da última corrida em Mantova, eu realmente treinei de novo, estou progredindo toda semana e isso você pode ver nas minhas corridas, então, estou indo em uma boa direção e sim, foi um dia perfeito.

Estou chegando mais perto [no campeonato]. Comecei a temporada não muito bem, mas agora estou ficando em forma e mais rápido, então espero que em Lommel possamos ganhar alguns pontos ”, acrescentou Prado.


Tim Gajser: Foi um bom dia, na verdade; Estava gostando e gostei muito da pista na Espanha. Não tive uma boa largada nas duas corridas. Na primeira terminei em terceiro e depois na segunda, fui sétimo na passagem e na segunda curva consegui fazer muitos passes. Aí peguei o Jorge [Prado] e tentei empurrar, tinha umas linhas bacanas onde estava pegando ele, e até passei em um momento, mas ele me passou de volta. Então estávamos bem próximos, mas então vi que Romain [Febvre] não estava tão perto e eu terminei em segundo. Segundo geral, estou feliz.


Estou realmente ansioso [por Lommel]. Ainda há muitas corridas pela frente e é claro que Lommel é uma das corridas mais difíceis, então vou dar o meu melhor e tentar ser consistente, dar boas largadas e aproveitar

Romain Febvre: “Foi um bom dia para nós. Conseguimos organizar as largadas agora, então eu tive ótimas largadas hoje. Acho que em Faenza foi o primeiro GP para mim no hard pack e com certeza foi difícil voltar. Mas agora estamos lá, então com certeza isso torna a corrida mais fácil. Primeira corrida terminei em segundo, estava atrás do Prado e ele foi mais rápido. Na segunda corrida, tive uma boa partida, mas o Tim [Gajser] passou-me duas curvas mais tarde e depois fiquei apenas em terceiro. Mas eles foram mais rápidos na segunda corrida. Com certeza estou feliz por ir para Lommel, ano passado quase ganhei e com certeza farei o meu melhor


MXGP - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Jorge Prado (ESP, KTM), 34:13.277;
2. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:07.125;
3. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:09.513;
4. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +0:16.409;
5. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:17.950;
6. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +0:31.813;
7. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:37.419;
8. Brian Bogers (NED, KTM), +0:41.385;
9. Jeremy Van Horebeek (BEL, Honda), +0:49.693;
10. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:54.604;

MXGP - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Jorge Prado (ESP, KTM), 34:32.685;
2. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:04.455;
3. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:17.405;
4. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:21.940;
5. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:27.027;
6. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:29.646;
7. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +0:35.318;
8. Brian Bogers (NED, KTM), +0:40.176;
9. Jeremy Van Horebeek (BEL, Honda), +0:43.221;
10. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +0:46.577;

MXGP - GP Top 10 Classification: 
1. Jorge Prado (ESP, KTM), 50 points;
2. Tim Gajser (SLO, HON), 42 p.;
3. Romain Febvre (FRA, KAW), 42 p.;
4. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 34 p.;
5. Clement Desalle (BEL, KAW), 32 p.;
6. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 29 p.;
7. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 27 p.;
8. Brian Bogers (NED, KTM), 26 p.;
9. Gautier Paulin (FRA, YAM), 26 p.;
10. Jeremy Van Horebeek (BEL, HON), 24 p.

MXGP – Top 10 World Championship Classification: 
1. Tim Gajser (SLO, HON), 441 points;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 417 p.;
3. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 396 p.;
4. Jorge Prado (ESP, KTM), 391 p.;
5. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 375 p.;
6. Romain Febvre (FRA, KAW), 346 p.;
7. Gautier Paulin (FRA, YAM), 311 p.;
8. Clement Desalle (BEL, KAW), 294 p.;
9. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 263 p.;
10. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 248 p.

MXGP - Manufacturers Classification: 
1. KTM, 539 points;
2. Honda, 478 p.;
3. Yamaha, 449 p.;
4. Kawasaki, 415 p.;
5. GASGAS, 389 p.;
6. Husqvarna, 281 p.;




Quando o portão caiu para a primeira corrida de MX2 do dia, Tom Vialle colocou sua Red Bull KTM Factory Racing na frente, liderando Jed Beaton da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing e Thomas Kjer Olsen, junto com Jago da Monster Energy Yamaha Factory Racing Geerts.

Mathys Boisrame, da F&H Kawasaki Racing, teve uma boa partida seguida de um momento difícil, pois sofreu duas quedas e abandonou a corrida após a primeira volta.

Vialle então começou a ser pressionado por Beaton, que estava ansioso para a vitória, enquanto seu companheiro de equipe, Olsen, também estava lá, ficando na roda de trás do Aussie. Esta batalha acirrada entre os três primeiros duraria toda a corrida.

O piloto da SDM Corse Yamaha Ruben Fernandez teve uma corrida difícil, já que não faria mais do que uma única volta, depois de um problema com a sua moto. Foi uma pílula difícil de engolir para o espanhol, que esperava uma chance de lutar pelo pódio durante o GP em casa.

De volta aos líderes, Vialle continuou a liderar Beaton e Olsen, enquanto Geerts estava lá em quarto. Maxime Renaux da Yamaha SM Action MC Migliori J1 Racing foi 5º, mesmo à frente de Roan Van de Moosdijk, piloto da F&H Kawasaki Racing, que começava a lutar por posições superiores.

Com 16 minutos no relógio, Beaton foi capaz de encontrar rapidamente uma maneira de passar Vialle, que foi rápido em responder. Geerts então caiu em 4º, voltando a se juntar em 6º, logo atrás da Hitachi KTM Fueled by Milwaukee, Conrad Mewse. Enquanto isso, o corsário Ashton Dickinson estava tendo um grande piloto no top 10, embora tenha sido pego por Alberto Forato, da Husqvarna Junior Racing Maddii, e acabou terminando a corrida em 15º.

Geerts então se encarregou de ultrapassar Mewse, mas depois de várias tentativas fracassadas, Mewse conseguiu recuperar o fôlego do belga, que se manteve em quarto lugar.

De volta à fonte, não houve grandes mudanças até as 3 voltas do fim, quando Olsen foi capaz de encontrar uma maneira de ultrapassar Beaton, enquanto Vialle manteve uma vantagem constante para o par e acabaria por trazer para casa a vitória na primeira corrida. Olsen confirmou seu segundo lugar, com Beaton em terceiro.

Na segunda corrida, foi Jago Geerts quem agarrou a FOX Holeshot e foi seguido pelo seu companheiro de equipa, Watson. No entanto, Vialle não perdeu tempo para tentar a liderança e, ao mesmo tempo, Fernandez conquistou o 3º lugar de Watson.

Beaton teve um problema desde a largada e chegou em último lugar na primeira volta. Mewse então caiu na primeira volta e cairia para durar também, atrás de Beaton.

Enquanto Vialle voltava a liderar a corrida, Fernandez e Renaux travavam uma grande batalha pelo 4º lugar. Parecia que Renaux estava dando tudo de si, embora ainda não conseguisse encontrar uma maneira de passar.

Beaton, no entanto, estava recuperando bem ao passar para o top 10 com 18 minutos mais 2 voltas para o final.

Conforme a corrida avançava, Vialle e Geerts estavam dando voltas rápidas, volta após volta, mas Geerts ainda conseguiu encontrar um centímetro a mais, a fim de subir na roda traseira do francês em um ponto. Mas Vialle foi capaz de responder muito rapidamente, aumentando seu jogo e estabelecendo outra volta mais rápida da corrida enquanto aumentava sua liderança.

Olsen, desejoso de recuperar posições depois de um início difícil de corrida, tentava contornar Watson para o 6º lugar. Os dois travaram uma batalha acirrada até a bandeira cair, com Watson segurando a posição.

O final da corrida foi dramático, pois Vialle liderou a corrida com 3.693 segundos, faltando apenas 3 voltas para o final, e travou sua moto momentos depois, o que permitiu a Geerts roubar a vitória. Felizmente, Vialle perdeu apenas uma posição antes de Van de Moosdijk o ultrapassar.

No final, foi Geerts quem venceu a corrida, com Vialle em segundo e Van de Moosdijk em terceiro. Enquanto isso, o espanhol Ruben Fernandez fez uma grande corrida para terminar em quarto. E apesar do erro na segunda corrida, Tom Vialle foi o vencedor geral do GP, com Jago Geerts em segundo e Thomas Kjer Olsen subindo para o terceiro degrau da caixa - seu quarto pódio consecutivo.



Tom Vialle: Não sei, estava muito confortável com a bicicleta, mas depois a bicicleta parou e demorei um pouco para começar de novo. Mas estava feliz com a minha pilotagem, estava me sentindo muito confortável na segunda corrida e em todo o fim de semana. Na verdade, foi um dia muito bom para o campeonato e agora estou focado apenas nas próximas corridas em Lommel na areia e estou feliz. Me sinto muito bem porque como vocês sabem há dois anos que moro lá na Bélgica, e passeio muito na areia.


Jago Geerts: Sim, foi um bom dia, fiquei em segundo e o Tom [Vialle] caiu na curva à minha frente, por isso aproveitei a oportunidade e estava a rodar muito bem, mas cometi alguns erros; com certeza a pilotagem poderia ter sido melhor. Na segunda corrida fiz o holeshot e depois o Tom passou por mim. Tentei persegui-lo, mas cometi alguns erros; Então, finalmente, estou muito feliz com os resultados finais e agora estou focado em Lommel. É sempre um prazer ir para a pista de sua casa e principalmente em Lommel que fica bem perto da minha casa e estamos procurando o melhor resultado lá.


Thomas Kjer Olsen: Sobre o pódio, estou me sentindo muito bem, mas não estou tão feliz com a segunda corrida porque cometi muitos erros e foi difícil encontrar boa velocidade. Eu poderia ter feito mais na segunda corrida, mas finalmente estou feliz pelo pódio para mim e para a equipe. Me sinto muito bem com meus resultados, estou me sentindo cada vez mais confortável, acho que posso liderar todas as rodadas agora; Sinto que estou quase de volta ao auge da minha forma física agora e a sensação de ir correr é incrível.


MX2 - Grand Prix Race 1 – Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 34:50.753;
2. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:01.273;
3. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:03.830;
4. Conrad Mewse (GBR, KTM), +0:14.347;
5. Jago Geerts (BEL, Yamaha), +0:18.546;
6. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +0:22.818;
7. Stephen Rubini (FRA, Honda), +0:23.369;
8. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:45.316;
9. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:48.114;
10. Alberto Forato (ITA, Husqvarna), +0:54.709.

MX2 - Grand Prix Race 2 – Top 10 Classification: 
1. Jago Geerts (BEL, Yamaha), 35:11.576;
2. Tom Vialle (FRA, KTM), +0:08.515;
3. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:15.395;
4. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +0:19.349;
5. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +0:23.613;
6. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:24.625;
7. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:28.744;
8. Isak Gifting (SWE, GASGAS), +0:47.004;
9. Stephen Rubini (FRA, Honda), +0:56.900;
10. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:58.542.

MX2 - GP Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 47 points;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 41 p.;
3. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 36 p.;
4. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 33 p.;
5. Maxime Renaux (FRA, YAM), 31 p.;
6. Jed Beaton (AUS, HUS), 31 p.;
7. Ben Watson (GBR, YAM), 27 p.;
8. Conrad Mewse (GBR, KTM), 27 p.;
9. Stephen Rubini (FRA, HON), 26 p.;
10. Isak Gifting (SWE, GAS), 23 p.

MX2 - World Championship Top 10 Classification: 
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 525 points;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 473 p.;
3. Jed Beaton (AUS, HUS), 379 p.;
4. Maxime Renaux (FRA, YAM), 372 p.;
5. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 347 p.;
6. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 326 p.;
7. Ben Watson (GBR, YAM), 314 p.;
8. Conrad Mewse (GBR, KTM), 279 p.;
9. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 234 p.;
10. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 226 p.

MX2 - Manufacturers Classification: 
1. KTM, 541 points;
2. Yamaha, 535 p.;
3. Husqvarna, 437 p.;
4. Kawasaki, 408 p.;
5. Honda, 271 p.;
6. GASGAS, 171 p.