+ Notícias

A diferença de campeonatos organizados pela CBM das Ligas Independentes

Escrito em 10/07/2018
Wilson Yasuda - Pres. Conselho Técnico Nacional Desportivo


A Confederação Brasileira de Motociclismo é a única entidade no país filiada à Federação Internacional de Motociclismo, e utiliza o regulamento da FIM como base para a realização de suas provas de várias modalidades, bem como todos os seus aspectos técnicos, principalmente na segurança de seus competidores.

 

Para garantir a integridade física dos integrantes da CBM é feito um seguro de vida, que abrange além de todo o pessoal de serviço, os que trabalham nos postos de sinalização e resgate, que normalmente são terceirizados. Também é feito seguro para todo o público presente nos eventos. É exigido dentro dos itens de segurança da prova, um médico responsável, montagem de um posto médico central, além de ambulâncias UTI e de remoção, além de médicos habilitados e equipes de resgate. Com isto, é exigido de todos os participantes a apresentação de exame médico para esportes de Alto Rendimento além de Seguro Saúde e Assistência Médica. Possui em seus quadros, comissários credenciados tanto para as questões administrativas como operacional de pista, Diretor de Prova, Diretor Médico com especialidade em Ortopedia e Traumatologia, Comissários para Vistoria Técnica. Fatores estes, importantes na realização das provas, que em casos de acidentes as autoridades públicas poderão exigir e verificar a formação se todos estão habilitados para exercer o trabalho, como ocorre nas provas nacionais e internacionais.

 

Quando se realiza uma prova, envolvendo muitos participantes divididos em várias categorias e cada qual com suas particularidades de formação e experiência, se deve observar o tempo obtido pelos pilotos, sendo que o mais lento não poderá ultrapassar 10 % do melhor tempo obtido pelo primeiro colocado, por questões de segurança, realizada por equipe de cronometragem oficial, utilizando sistemas atualizados.

 

É feito em cada prova um Regulamento Suplementar, onde são colocados dados do Evento, localização, Oficiais da Prova, Composição do Júri, Cronograma de Horários assim como informações gerais de todos os participantes, demonstrando lisura e transparência a todos os envolvidos.

 

As provas sem homologação da CBM são realizadas por Ligas Independentes, empresas promotoras de eventos e até pessoas físicas. São elas quem fazem os próprios regulamentos e as regras podem não conter itens importantes para a segurança dos participantes, além de seu corpo de comissários não terem frequentado cursos oficiais para exercerem com responsabilidade importantes funções na competição. Quando há ocorrência de protestos ou questões administrativas o julgamento é feito por uma comissão interna, sem respaldo de credibilidade das decisões.

 

Os Campeonatos e Provas realizados por ligas independentes estão amparadas na Lei Pele Lei 9.615 de 24 de março de 1998, que tem no seu foco principal do Futebol, não tendo nela nenhum capítulo, itens referentes ao esporte a motor.

 

Outro fato importante a se destacar, se refere à contestação de uma decisão. Os participantes não tem outra instância para contestar como ocorre nas provas oficiais, ou seja não estão amparados legalmente pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva supervisionado pelo IBDD Instituto Brasileiro de Direito Desportivo e o Ministério dos Esportes, formado por advogados especializados no Esporte utilizando como consulta o Código Brasileiro de Justiça Desportiva como ocorre com a CBM. Por fim estas são as principais diferenças das provas oficiais e as provas realizadas por ligas independentes.