+ Notícias

Comissão do Júri divulga decisão referente a 5ª etapa do BRMX

Escrito em 18/08/2018
CBM

A Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) divulga decisão da comissão do júri de prova referente a 5ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, realizada nos dias 4 e 5 de agosto na cidade de Extrema (MG).

Reunião do Juri de Prova da 5ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross ocorrida nos dia 4 e 5 de Agoôsto de 2018, na cidade de Extrema – Minas Gerais.

Ocorrência :

Recebemos uma reclamação da Equipe Honda, sobre ocorrência ao final da 1ª Bateria da MX1 na área de BOX, entre a Equipe EMG – Kawasaki.

Em relação aos fatos ocorridos no paddock durante a última etapa disputada do Campeonato Brasileiro de MX na cidade de Extrema. A Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, entidade responsável pela supervisão  e realização do  campeonato, vem por meio do Sr. Wilson Yasuda, presidente do Juri de Prova, comunicar que;

Considerando que o esporte deve ser permeado pela honra, pela boa vontade, pela disciplina e desportivismo;

Considerando que o importante não é vencer, mas competir com dignidade;

Considerando que a prática desportiva deve buscar a integridade pessoal alcançando a excelência e o equilíbrio;

Considerando que a prática desportiva visa a união dos povos e das pessoas;

Considerando principalmente que a prática de atentados de cunho racistas, xenófobos e discriminativos devem ser taxativamente combatidos e banidas do meio esportivo;

Apesar das considerações supra mencionadas, que deveriam nortear nosso ideias esportivos, fora identificados dois ilícitos de graves proporções após a realização do evento. Sendo a pratica de crime de difamação, prevista no Código Penal Brasileiro em seu art. 139, além do crime de Xenofobia, que encontra guarida não só no art. 1º da Lei 7.716/89, mas bem como no art. 5º, inciso XLII da Constituição Federal de 1988.

Dessa forma, no intuito de alertar a todos os envolvidos, ou seja, atletas, dirigentes, equipes, patrocinadores, etc. Comunicamos que tais atitudes não mais serão admitidas no nosso meio e que, no caso de reincidência de qualquer uma delas, serão tomadas medias cautelares emergenciais perante os tribunais competentes.

Por final fica penalizado com suspensão de 2 etapas o Sr. Aguinaldo Lima – Chefe da Equipe EMG Kawasaki pelo ocorrido. Caso haja reincidência o piloto será punido diretamente por atos da sua equipe.

Comissão de Júri do Campeonato Brasileiro de Motocross

Confederação Brasileira de Motociclismo